agosto 05, 2009

operações de câmara

O meu filho teve uma cadeira na faculdade chamada "operações de câmara". O exercício proposto no final do ano consistia em fazer um pequeno filme baseado nesta cena de "il buono, il brutto, il cattivo" de Sergio Leone, em que a montagem de planos e o jogo de câmara são decisivos para a criação de suspense:



A realização do exercício coincidiu com uns dias que ele e os colegas de grupo passaram comigo nas férias, no Algarve. Depois de andarem a moer o juízo a meia praia, a transformarem-me a mim e aos meus amigos em actores de ocasião, regressaram a Lisboa 24 horas antes do prazo de entrega do trabalho, completamente descontentes com as cenas que tinham filmado. Numa noite e numa manhã, mudaram o argumento, voltaram a filmar e fizeram isto:



Eu acho que ficou mesmo bem!

17 comentários:

ze sc disse...

Ficou magnífico!

tcl disse...

:-)

Pedro Lopes disse...

está tudo bom
nos planos dos olhos só colocaria menos testa e mais olhos (os olhos estão mto para baixo, pode ser uma nova forma de enquadramento de olhos mas para mim não funciona)
parabéns

tcl disse...

Obrigada pelo comentário, Pedro.
Sobre olhos, de olhos que vêm com olhar atento!
Será transmitido ao J, com muito gosto.
:-)

ze sc disse...

Pois não posso deixar de acrescentar, em defesa do J (que não precisa...), que se percebe que o problema apontado do enquadramento dos olhos foi opção face à limitação do formato da imagem; a alternativa seria incluir mais "nariz", o que me parece pior... Uma excelente escolha dos autores e uma crítica pouco merecida... ;-)

tcl disse...

não sejas torcido, Zé. Eu gosto das críticas do Pedro, que é homem que sabe destas coisas... De qualquer forma, talvez tenhas razão, o J referiu-me um qq problema com o formato. Aguardemos o comentário dele...

João Nunes disse...

Nota do autor:
Antes de mais nada queria agradecer pelos vossos comentarios, que sempre serão bem vindos.
em relação ao problema discutido, sobre o enquadramento dos planos dos olhos tenho a dizer que estou de acordo com aquilo que o Pedro disse, e que para apanhar menos testa não precisaria obrigatoriamente de apanhar mais nariz, pois poderia simplesmente ter aproximado mais a camara. Mas sinceramente, aquilo que me faz mais confusão no filme sao os planos mal iluminados do jogador da esquerda. Surgem sempre algumas falhas quando se faz um projecto a menos de 24h da data de entrega :).
Cumprimentos a todos e, mais uma vez, obrigado.

Teresa disse...

Gostei muito, muito, muito!

A ideia de ir buscar um jogo de cartas (poker, com certeza, não posso jurar porque não jogo) foi brilhante, e insere-se magnificamente no folclore do velho Oeste. Estou a ver o saloon, a atmosfera de cortar à faca (ou à bala). Adorei o título, que aparece muito brevemente: O Bom, o Mau e o Batoteiro, a pegar taco a taco no desafio. E larguei a rir, ao lembrar-me do batoteiro de alguns livros de Lucky Luke, o inesquecível Scat Thumbs.

E há a música, a inesquecível banda sonora do grande Ennio Morricone. Numa cena numa praia nem estou bem a ver como poderia ser encaixada. Aqui está PERFEITA! (e fez-me lembrar Kill Bill...).

Parabéns, João!!!

Agora só me falta autorização de mãe e filho para pôr isto no blóguio do Liceu. É a Nova Geração

João Nunes disse...

Ora muito obrigado.
O jogo não é poker, anda bastante longe até, é um jogo parvo de putos em que se têm que fazer certas coisas quando saem certas cartas (como fazer uma vénia quando sai o rei, ou deitar a lingua de fora quando sai um 7). Ganha o jogo quem puser primeiro a mão na mesa quando sai o ás.
Claro que autorizo para por no blogue.
Uma boa noite para todos.

tcl disse...

thanks T! e tens a autorização devidamente dada :-)

Teresa disse...

João, preciso da banda sonora! Manda-ma por mail?
Beijos.

tcl disse...

a banda sonora está em casa do papá. se quiseres, ele envia-te amanhã ou depois

Teresa disse...

Como tenho muita coisa de Ennio Morricone, até é possível que tenha esta faixa. Qual é o título?
Caso não tenha, vou mesmo precisar do ficheiro.

Beijos.

Pedro Lopes disse...

pois, mais nariz menos nariz, tb pensei no nariz; faz lembrar o Astérix, "mas que belo nariz!", num ido de "Cleópatra" :-)
entre a planura da testa e a protuberância do nariz... hum...
e é verdade que o formato não ajuda, sou eu velho, isto é tudo muitas modernices :-)

tcl disse...

pois podia ter mau feitio, mas era portadora, sem dúvida de um belo nariz!

mais nariz, menos nariz, o J até que oncordou contigo, bistes?

carlos disse...

Ganda nice, buéda fixe!!!

Gostei muito, dentro da minha enooooorme ignorância

Só faltou o clássico plano dos olhos semi-cerrados.... :o)

Parabéns ao J

tcl disse...

serão entregues :-) Thanks!