agosto 27, 2009

divines



Ontem reencontrei Fanny Ardant. Vinha para casa no carro, a Europa Lisboa a passar o "à quoi sert de vivre libre" e eu a lembrar-me de "huit femmes" e de como me tinha esquecido desta canção e de todas as outras do filme menos de "t'es plus dans le coup papa". Curiosa a memória musical.

Fanny Ardant deu-me vontade de Catherine Deneuve e



Catherine Deneuve de Isabelle Huppert, de forma que cheguei a casa e procurei os vídeos no tubo.

.

Divinas, todas elas, mas sobretudo estas três. Adoro este filme.

Já deixei o link da canção de Ludvine Sagnier lá em cima, os outros aqui: "mon amour, mon ami" por Virginie Ledoyen, "pour ne pas vivre seul" por Firmine Richard, pile ou face" por Emmanuelle Béart e "Il n'y a pas d'amour heureux" por Danielle Darrieux.

3 comentários:

Pedro disse...

Este filme é simplesmente maravilhoso. Por tudo. Por todas.

Foi representado nos anos 60, em teatro, pela Companhia de Amélia Rey Colaço (pena não ser vivo sequer na altura).

Sofia K. disse...

que engraçado, ainda ontem nos despedimos de Agosto com esta banda sonora... adoro isto!!!

já voltámos de férias, tudo bem por aqui?

beijos

Angélica Lins disse...

Fantástico!!!
Estive aqui e gostei muito do que vi.
Abraço